Arquivo | março 2012

Cuide de suas flores para combater o estresse

A empresária Adriane Kratz mora em Cunha Porã, município do extremo oeste de Santa Catarina que tem pouco mais de 10 mil habitantes e fica na região de Chapecó, a 631 quilômetros de Florianópolis. Uma simpática cidade do interior com tudo para ser o refúgio de quem não aguenta mais a velocidade sempre acelerada das grandes metrópoles.

O problema é que a evolução da tecnologia e o nascimento da internet acabaram com as distâncias. Sendo assim, esta empresária continua trabalhando muito e vivenciando todos os problemas do escritório, ainda que de forma virtual. O resultado disso é bastante real: estresse.

E foi em um dia normal de trabalho, talvez por acaso, que Adriane descobriu nas plantas e flores uma forma de combater esse estresse. “As plantas andavam abandonadas na minha casa porque não dá tempo de cuidar delas. Aí minha mãe (Hilda Kratz, de 81 anos) me pediu para comprar uns vasos que ela queria arrumar as flores”, conta. “Comprei vários vasos novos, um saco de terra para flores e me aventurei. Foi uma delícia, elas ficaram lindas e eu bem mais calma. Para acabar com a irritação, nada como plantar flores e trocar vasos”.

Adriane não poderia estar mais correta.

Cuidar de flores e plantas é uma das atividades mais recomendadas para o combate ao estresse, segundo a psicóloga Marilda Lipp, diretora do Centro Psicológico de Controle do Estresse, que fica em Campinas, interior de São Paulo. “Estudos comprovam que colocar a mão na terra, na planta, na flor, manter o contato direto com a natureza, tudo isso nos dá uma sensação de plenitude emocional”, explica.

“Um indivíduo estressado está com as funções vitais desreguladas. As batidas do coração, a digestão, a respiração, tudo está fora de compasso. Dedicar-se ao cultivo das plantas e ao tratamento das flores ajuda na homeostase, no alcance do equilíbrio”, completa a psicóloga.

De acordo com Marilda Lipp, até mesmo fotos de plantas e flores auxiliam, mas ela faz um alerta. “Essas técnicas são coadjuvantes para tratar o problema, porque a causa do estresse precisa ser resolvida. A falta de dinheiro, o excesso de trabalho e todas as situações que provocam o estresse não deixam de existir porque você plantou uma rosa”.

Agora você já sabe. Não se entregue ao estresse. Cuide de suas plantinhas e de suas flores com todo o carinho e tenha uma vida muito mais equilibrada.

Adriane Kratz ficou tão orgulhosa, que me mandou as fotos de suas flores e plantas. Confira abaixo como elas ficaram lindas.

Curta Flores de Lulu no Facebook
Siga o @FloresdeLulu no Twitter
Mande críticas e sugestões para floresdelulu@gmail.com

As flores de algodão de Amsterdã

Estação mais colorida do ano, a Primavera chegou ao hemisfério norte nesta terça-feira, dia 20 de março, trazendo com ela toda a beleza que só as flores têm.

Até junho, vou postar imagens de plantas e flores encontradas nos Estados Unidos e na Europa, além de contar um pouco da história de brasileiros que moram por lá.

Hoje quem protagoniza a página são as Flores do Algodão. As fotos foram feitas por Ana Flavia Pinheiro, uma amiga que atualmente vive em Amsterdã, na Holanda.

Ana Flavia disse: “encontrei essas beldades aqui em Amsterdã numa banquinha que fica na esquina das ruas Amstelveenseweg e Koninginneweg”.

A simpática esquina das ruas Amstelveenseweg e Koninginneweg, em Amsterdã (Foto: Google Maps)

Flores brasileiras nos EUA

‘Faça uma viagem ao Brasil – não é necessário o passaporte’. Este é o convite da Macy’s, tradicional loja de departamentos dos Estados Unidos, para o ‘Macy’s Flower Show – Gardens in Paradise’, evento realizado em cinco cidades de 25 de março a 7 de abril e que, neste ano, tem o Brasil como tema principal, incluindo dança, música, artesanato, culinária e, claro, flores e plantas.

As lojas de Nova York, Chicago, Filadélfia, Mineapolis e San Francisco serão transformadas em florestas tropicais com árvores, gramados, montanhas e outras intervenções.

Destaque para uma área inspirada nos trabalhos de Burle Marx e que terá um jardim botânico com orquídeas e bromélias exóticas, jardins montados em coberturas, palmeiras, babosas, heras e videiras.

Bebel Franco – A artista brasileira é uma das convidadas e irá apresentar estampas inspiradas na flora brasileira.

Visite o site oficial do Macy’s Flower Show, conheça os detalhes e, se você tiver um ‘tempinho’ sobrando, pegue um avião e vá até lá ver tudo isso bem de perto.

Feira de Orquídeas no Jardim Botânico de Santos

Para quem estiver no litoral de São Paulo, a dica para este sábado (10) e domingo (11) é a Feira de Orquídeas no Jardim Botânico de Santos.

Você encontrará muitas espécies de orquídeas e poderá ainda comprar mudas e plantas adultas.

A organizadora da feira e orquidófila Noêmia Reis, do orquidário Reis Bernils, estará a disposição tirando dúvidas e dando dicas sobre cultivo.

A feira funciona das 8h às 18h.

O Jardim Botânico fica na Rua João Fracarolli s/n°, no bairro do Bom Retiro.

 

A flor certa para o Dia da Mulher

Tudo começou em 8 de março de 1857, quando operárias de uma fábrica de tecidos de Nova York fizeram uma grande greve.

Elas ocuparam o local para reivindicar melhores condições de trabalho. Foram reprimidas violentamente e trancadas no prédio, que foi incendiado.

Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas naquele dia, num ato totalmente desumano.

Somente em 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o dia 8 de março passaria a ser o ‘Dia Internacional da Mulher’, em homenagem às trabalhadoras mortas.

Em 1975, por meio de um decreto, a data foi oficializada pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Então, vamos lembrar destas mulheres valentes que perderam a vida de forma tão bárbara lutando por seus direitos.

Ofereça uma rosa às mulheres que trabalham fora, cuidam da casa, dos filhos e se dedicam totalmente à correria que a vida impõe.

E lembre-se que cada cor tem sua mensagem.

Rosas brancas simbolizam a pureza, a inocência. Amarelas transmitem alegria. Cor-de-rosa é oferecida como forma de agradecimento. E a rosa vermelha é o maior símbolo do amor.

Dê um presente as mulheres, as mais belas e verdadeiras flores.

O floreiro mais antigo da Avenida Dr. Arnaldo

Donizete Alves Lopes não sabe dizer quantos namoros, noivados ou casamentos ajudou a salvar nos últimos 40 anos. Desde 1971, quando ele começou a trabalhar com o pai no box número 1 dos 20 que existem em frente ao Cemitério do Araçá, na Avenida Dr. Arnaldo, região central de São Paulo, foram vários pedidos de socorro e diversos agradecimentos.

“Certa vez, um rapaz encomendou 260 buquês diferentes e mandou entregar na casa da noiva, lá no Morumbi. Cada um tinha um cartão com um pedido de desculpas. Não sei o que ele fez para a moça e nem perguntei, mas ela tinha rompido o relacionamento. Faz uns 20 anos que isso aconteceu”, lembra Donizete. “Eles voltaram e depois ele apareceu aqui para dizer obrigado”.

Este mineiro de São Gotardo, cidade próxima a Uberaba, tinha 14 anos quando seu pai, Julinho Alves, comprou o box e os dois trabalharam juntos até 2010. “Ele morreu com 85 anos. Meu pai sabia tudo sobre as flores”.

Atualmente com 54 anos de idade, Donizete conhece bem os espinhos da vida de floreiro e entende muito bem o impacto do crescimento urbano. “Passamos por um grande aperto na época das obras da estação Clínicas do metrô, inaugurada no início da década de 1990. O movimento caiu quase 80%. Foi uma fase muito complicada”.

No box 1 estão à venda mais de 50 espécies de flores, das mais exóticas como o Dedo-de-anjo, até a mais conhecida, a Rosa. Podemos encontrar por lá Girassóis, Begônias, Crisântemos e outras tantas. Uma mais linda do que a outra.

Apesar do box estar literalmente na porta do cemitério, as coroas – homenagens aos que já partiram – têm pouca participação nos lucros. “Os buquês e os vasos para presentear ou até mesmo para enfeitar a casa são os mais pedidos. Fazemos os arranjos na hora, ao gosto do freguês”.

As mãos habilidosas de Dona Rose, mulher do floreiro, não param um minuto e os três filhos do casal também ajudam. “É nossa vida, nosso sustento, nossa única fonte de renda”, afirma Donizete.

Dedicação ao trabalho e amor às flores. A combinação que cativou inúmeros clientes nos últimos 40 anos e que fez deste floreiro uma referência e um exemplo.

Donizete Alves Lopes

Donizete prepara mais um arranjo

Box n° 1, em frente ao Cemitério do Araçá

Os poderes de Verbena e Melissa

Confesso que já fui vidrada e super espectadora de novelas, muito mais do que sou hoje. Dia ou outro, admito, assisto a alguns capítulos, mas sem nenhum compromisso com horários.

Lendo uma revista semanal, onde havia um anúncio de página dupla sobre a nova novela da faixa das 18 horas da Rede Globo, ‘Amor Eterno Amor’, me chamou atenção os nomes de duas personagens: as irmãs Verbena (Ana Lucia Torre) e Melissa (Cássia Kiss Magro). Ambas têm nomes de plantas.

Descobri que a Verbena foi usada para estancar as feridas de Jesus Cristo após ele ser retirado da cruz. Atualmente, é uma planta popular, muito usada em decoração e tem longo período de floração. Para um bom desenvolvimento, precisa de um local quente, com bastante exposição ao sol. Além disso, o solo deve ter bom sistema de drenagem.

Existem quatro espécies de verbena.

A Bonariensis se destaca por pequenos cachos carregados de flores lilases. A Verbena Canadensis tem flores roxas ou brancas e sua folhagem é de um verde bem intenso. A Verbena Rigida floresce durante todo o ano e suas flores são de tonalidades lavanda e violeta. A espécie conhecida por Tenera cresce em cascata, o que a torna ideal para o plantio em vasos suspensos.

Melissa – Planta conhecida popularmente como ‘erva-cidreira verdadeira’, ‘melissa romana’ ou ‘chá da França’, a Melissa officinalis é confundida com outra erva, também medicinal. No Brasil, existem plantas conhecidas pelo nome comum de ‘erva-cidreira’, capim-limão ou ‘lemon-grass’ (Cymbopogon citratus). Elas não são a mesma planta, mas isso eu explico em outra oportunidade.

A Melissa é uma planta da família das Labiadas, arbustiva e pode atingir de 20 a 80 cm de altura. As folhas têm um verde intenso na parte superior e verde-claro na parte inferior. As flores, quando surgem, são brancas ou amareladas, podendo se tornar rosadas com o passar do tempo. A planta exala um odor muito parecido com o limão, ficando mais intenso depois que a planta seca.

Acredita-se nos poderes calmantes da Melissa, usada para combater gases e cólicas, estimular a transpiração. Ela é calmante, sedativa, digestiva, age contra a insônia, enxaqueca, tensão nervosa, ansiedade e ajuda nos casos de trauma emocional.

Verbena à esquerda Melissa à direita